A Aspen utiliza os dados dos cookies para personalizar e melhorar a sua experiência em nosso site. Esses cookies, bem como os dados dos formulários, tem como objetivo o uso interno para melhorar o desempenho do site e não serão, sobre hipótese alguma, divulgados publicamente.
Acesse aqui a nossa política de privacidade.

Diversidade e Inclusão

ASPEN PHARMA LANÇA PROGRAMA DE DIVERSIDADE E INCLUSÃO

A filial brasileira da sul-africana Aspen Pharma, uma das maiores fabricantes de medicamentos do mundo, oficializou em 2019 seu Programa de Diversidade e Inclusão (D&I), que é parte de uma iniciativa global. Entre as iniciativas está a contratação da primeira colaboradora transgênero, através de uma parceria com a TransEmpregos. “Na Aspen Pharma, os talentos são diversos e o sucesso é resultado de uma cultura inclusiva, onde todos se sentem valorizados e tratados com respeito e dignidade”, ressalta Patrícia Franco, Diretora de RH da farmacêutica.

O que as organizações tem feito para combater a discriminação e promover a diversidade? A luta pela construção de ambientes de trabalho mais diversos é uma busca equidade e por uma representação mais fiel a realidade do nosso país. O mercado já entendeu isso e também está se movendo nessa direção. Nesse contexto, a Aspen Pharma Brasil se prepara, cada vez mais, para estar integrada a diversidade e inclusão. “Eles só precisam, como qualquer ser humano, de uma oportunidade. Tem todo um mercado para eles, que não possuem visibilidade”, diz Patrícia Franco.

Para marcar esse momento, foi realizado em setembro de 2019 um bate-papo com a militante dos Direitos Humanos desde 1990 e cofundadora do projeto TransEmpregos, Maitê Schneider. O CEO da empresa, Alexandre França, destaca que na Aspen só há espaço para o respeito, liberdade e inclusão. “Aqui é um espaço para você ser quem você é. Não toleramos qualquer tipo de intolerância. Antes de tudo, prezamos pela igualdade”, afirma.

No início de sua apresentação, Maitê destacou os principais momentos de sua trajetória e todos os obstáculos que superou, desde a escola até a universidade, passando pela dificuldade de inclusão no mercado de trabalho e as situações de preconceito que vivenciou. “Não consegui espaço no mercado corporativo, então, fundei minha empresa com a missão de mudar essa realidade e apoiar todas as pessoas que passam por algum tipo de exclusão, sejam pessoas com deficiência, negros, imigrantes e etc.”, destacou.

Maitê reforçou que a construção de uma cultura de respeito à diversidade começa quando cada um de nós muda. “Precisamos recuperar o olhar das crianças, que respeitam todas as diferenças, sem preconceitos com aquilo que não é natural para ela. Aos poucos, plantando o respeito, vamos colher frutos desse trabalho, que começa no micro e vai se espalhando”, conclui.

A diretora RH da Aspen Pharma, Patricia Franco, afirma que esse passo é fundamental para reforçar ainda mais os valores da empresa. “Quando realizamos um processo seletivo, buscamos avaliar as competências e habilidades dos candidatos. Respeitamos a história de cada um e suas escolhas. Todos podem concorrer a uma oportunidade de trabalho na Aspen Pharma. Nós valorizamos as pessoas como elas são.”, concluiu.

4 DICAS SOBRE DIVERSIDADE NAS EMPRESAS

Por Patrícia Franco* – Diretora de RH da Aspen Pharma Brasil

  1. Ter um “defensor” da Diversidade – Este é o pontapé inicial para se ter sucesso nesta jornada. Ter uma pessoa ou grupo de pessoas com um profundo interesse em promover e apoiar uma força de trabalho diversificada e inclusiva;
  2. Apoio da alta liderança – O CEO e líderes (Diretores e Gerentes) da empresa devem ser os porta-vozes da diversidade. O apoio da liderança é necessário para garantir que os esforços recebam a devida atenção;
  3. Cultura Inclusiva – O grande desafio é em relação a cultura organizacional. A gestão se torna responsável por exibir comportamentos inclusivos, gerenciando seus próprios preconceitos e apoiando o trabalho dos funcionários;
  4. Preparação dos funcionários para a nova etapa – Toda a empresa precisa ser bem preparada para lidar com a diversidade, isso inclui desde treinamentos específicos até campanhas educativas e de conscientização, palestras e dinâmicas que fomentem a inclusão. Se houver algum funcionário que se mostre resistente à nova cultura da empresa, fique atento, pois será necessária uma orientação mais próxima para tentar entender os motivos pelos quais ele se comporta dessa maneira e tentar modificar essa conduta.




No mês de comemoração internacional do Orgulho LGBT, conquistamos o segundo lugar na categoria LGBTQI+

*Patrícia Franco é diretora de Recursos Humanos da Aspen Pharma Brasil, indústria farmacêutica. Atuando há 18 anos no setor de recursos humanos e na empresa desde 2009. Como diretora da área, a profissional é responsável por desenvolver com sucesso o programa de voluntariado na Aspen Pharma Brasil, sendo inclusive premiada com o Community Involvement Awards pela matriz, na África do Sul. Na gestão do RH da farmacêutica, Patrícia levou a Aspen Pharma a ganhar por seis anos consecutivos a premiação do Great Place to Work, como uma das melhores empresas para se trabalhar na área da saúde e que investe em mulheres em seu quadro profissional.